Em 1996, Peter D’Adamo, um médico naturopata, publicou um livro no qual descreveu como as pessoas poderiam ser mais saudáveis, viver mais e atingir seu peso ideal comendo de acordo com seu tipo sanguíneo. A escolha de condimentos, temperos e até de exercícios deve depender do tipo de sangue da pessoa. Logo, o livro era um best-seller e as pessoas em todos os lugares estavam descobrindo seu tipo de sangue, revisando suas listas de compras e mudando a forma como comiam, se exercitavam e pensavam sobre sua saúde.

 

Aqui estão algumas das recomendações de acordo com a dieta “Eat Right for Your Type”:

 

– Aqueles com sangue tipo O devem escolher alimentos ricos em proteína e comer muita carne, legumes, peixe e frutas, mas limitar grãos, feijões e legumes. Para perder peso, frutos do mar, algas, carnes vermelhas, brócolis, espinafre e azeite são os melhores; trigo, milho e laticínios devem ser evitados.

– Aqueles com sangue tipo A devem escolher frutas, legumes, tofu, frutos do mar, peru e grãos integrais, mas evitar a carne. Para perda de peso, frutos do mar, legumes, abacaxi, azeite e soja são os melhores; laticínios, trigo, milho e feijão devem ser evitados.

– Aqueles com sangue tipo B devem escolher uma dieta diversa, incluindo carne, frutas, laticínios, frutos do mar e grãos. Para perder peso, os indivíduos do tipo B devem escolher vegetais verdes, ovos, fígado e chá de alcaçuz, mas evitar frango, milho, amendoim e trigo.

– Aqueles com sangue tipo AB devem comer laticínios, tofu, cordeiro, peixe, grãos, frutas e legumes. Para perda de peso, tofu, frutos do mar, verduras e algas são melhores, mas frango, milho, trigo mourisco e feijão devem ser evitados.

Como mencionado, as recomendações para as dietas do tipo sanguíneo vão muito além das escolhas alimentares. Por exemplo, pessoas com sangue tipo O são aconselhadas a escolher exercícios aeróbicos de alta intensidade e tomar suplementos para seus estômagos sensíveis, enquanto aqueles com sangue tipo A devem escolher atividades de baixa intensidade e incluir a meditação como parte de sua rotina.

É comprovado cientificamente?

Como todas as dietas, no universo da nutrição ainda cabem muitas pautas e estudos para comprovações, são basicamente teorias, a melhor maneira de comprovar algo AINDA é na base do teste individual.. algumas pessoas relatam ser imensamente efetivo, assim como outras que seguem dietas diferentes podem achar efetivo também , a única certeza nesse âmbito é de que gorduras trans, industrializados, refinados, açúcar e excessos são altamente maléficos para a saúde, agora, fórmula mágica? Quem vai descobrir isso é você!

 

Esta teoria está baseada em que?

 

A teoria por trás dessa dieta é que o tipo sanguíneo está intimamente ligado à nossa capacidade de digerir certos tipos de alimentos, para que a dieta adequada melhore a digestão, ajude a manter o peso corporal ideal, aumente os níveis de energia e previna doenças, incluindo câncer e doenças cardiovasculares.

 

Dizia-se que o tipo O era o tipo sanguíneo “ancestral” original dos primeiros humanos que eram caçadores-coletores, com dietas que eram altas em proteína animal. O grupo A foi dito para evoluir quando os humanos começaram a cultivar e tinham mais dietas vegetarianas. Dizia-se que os tipos sanguíneos do grupo B surgiam entre as tribos nômades que consumiam muitos laticínios. E como o sangue do grupo AB deveria ter evoluído a partir da mistura de pessoas com sangue dos tipos A e B, as recomendações do tipo AB eram intermediárias entre aquelas para pessoas com sangue dos tipos A e B.

 

Cada uma dessas teorias foi desafiada. Por exemplo, há quem diga que o tipo A foi, na verdade, o primeiro grupo sanguíneo a evoluir em humanos, e não no tipo O. Além disso, não há comprovação exata entre tipo sanguíneo e digestão. Assim, faltam evidências de que a dieta funciona, mas a evolução dessa antiga teoria talvez esteja no exame de flora intestinal e enzimas digestivas, que direciona os tipos de alimentos que temos enzimas e os tipos que não temos.. assim orientaria uma dieta personalizada!

 

Então, qual é o lado negativo?

 

Comer baseado em seu tipo sanguíneo requer que você conheça seu tipo sanguíneo e siga uma dieta restritiva. As preferências pessoais podem ser um problema: um vegetariano com sangue do tipo O pode ter dificuldades para permanecer na dieta designada, e as pessoas que gostam de carne vermelha podem se decepcionar ao saber que têm sangue do tipo A. Suplementos recomendados não são baratos; nem os alimentos orgânicos recomendados. E se você tem certas condições de saúde, como colesterol alto ou diabetes, um nutricionista pode fazer melhores recomendações baseadas em evidências para você do que aquelas necessariamente determinadas pelo seu tipo sanguíneo.

 

Conclusão:

 

Os defensores das dietas do tipo sanguíneo podem dizer que, embora o estudo ideal ainda não tenha sido realizado, a ausência de provas não significa que elas são ineficazes. E também não há provas de que essas dietas sejam prejudiciais. Então, meu palpite é que o interesse nas dietas do tipo sanguíneo não vai desaparecer tão cedo. Mas há uma razão para as livrarias terem filas e fileiras de livros sobre dieta, cada uma afirmando ser altamente eficaz, se não a melhor. Não se sabe simplesmente qual dieta é melhor para cada pessoa. E mesmo se o fizéssemos, manter uma dieta única é muitas vezes um desafio.

 

Aguarde. É provável que em breve você fique sabendo de outra melhor dieta. Este universo ainda é um bebê “recém-nascido”.