Como enganar nosso cérebro para comer menos, veja 10 truques!

 

Qual é a melhor maneira de treinar seu cérebro a comer menos – ou comer mais alimentos ricos em nutrientes e de baixa caloria que contribuem para um corpo saudável ?

Tudo se resume a uma alimentação consciente. Se você quiser diminuir o quanto come, precisará começar com a intenção certa, o que demandará tempo e esforço, até ficar natural e positivamente viciante!!!

 

1. Preste atenção às porções

Ok, provavelmente parece muito simples, mas a maneira número 1 de comer menos é … comer menos! Não confie em si mesmo para alimentação solo / autoatendimento e controle de porções sem conhecer primeiro o tamanho apropriado. Particularmente, ao fazer comida em casa, comer em buffets ou cafés da manhã continentais e ao servir seus filhos, procure pacotes ou faça uma pesquisa on-line rápida para saber o tamanho adequado da porção. Se uma porção for um terço de um pacote, não coma a coisa toda.

 

Adultos e crianças comerão mais quando houver mais comida na frente deles – essa é uma maneira de o seu corpo ser muito ruim em se auto-regular.  E adivinhe – isso é verdade às vezes até mesmo se a comida não for gostosa.

 

Como os restaurantes podem dificultar isso, sugiro começar uma refeição usando minha próxima dica…

 

2. Veja os fatos nutricionais

 

Pessoas que já estão acima do peso estatisticamente subestimam quantas calorias são encontradas em refeições maiores, especialmente quando se trata de fast food (que você deve evitar de qualquer maneira).

 

Não os fatos/valores nutricionais vê no menu? “Google it”. A maioria dos restaurantes importantes tem informações nutricionais disponíveis on-line ou pode fornecê-las quando solicitadas.

 

Não tenha vergonha de pedir uma embalagem para viagem! E respeite seu corpo sem comer porque simplesmente está na sua frente e você teria que “limpar o prato”.

 

Quando comprar em supermercados, ler os rótulos dos fatos nutricionais é um dos principais meios de evitar alimentos excepcionalmente calóricos, mas também para evitar os piores ingredientes encontrados em muitos alimentos. Corte esse mau pela raiz, ou melhor pelo mercado!

 

3. Comer em áreas iluminadas

 

Os jantares à luz de velas podem ser românticos, mas também provavelmente comemos mais. Em um estudo, os participantes foram convidados a comer na escuridão total. Comparados com o grupo que comia com iluminação, os que estavam na escuridão consumiam 36% mais comida – e não tinham indicação física de que estavam mais cheios ou que não deviam pedir a sobremesa.

 

Em vez de se encontrar em uma sala escura em frente à sua TV, tente praticar uma refeição consciente, sentando-se à mesa iluminada e focalizando sua refeição,  fazendo entretenimento mais tarde. Isso muda MUITO a sua satisfação ao comer! Quem nunca fez ume refeição inteira assistindo algo, num papo distrativo ou pensando na morte da bezerra e ao terminar teve a sensação que não comeu nada e a fome continua?

 

4. Snack pré estabelecido

As pessoas tendem a confiar na embalagem, o que geralmente não é uma coisa ruim. No entanto, muitos lanches são “individualmente dimensionados” em tamanhos de porção maiores do que o necessário. Você provavelmente comerá mais se uma “porção única” for aumentada e servida em um recipiente maior.

 

Isto é devido a algo chamado “viés de unidade” – nossos cérebros vêem uma coisa individual como a mesma densidade, mesmo se uma é menor. Oferecidos cinco mini biscoitos ou cinco biscoitos de tamanho normal, uma pessoa provavelmente comerá a porção inteira de ambos, o que significa que as pessoas que comem os pretzels maiores consomem mais calorias.

 

Ao considerar lanches, não deixe seu cérebro enganá-lo. Aproveite o tempo para contar uma única dose e evite comer fora de grandes recipientes como um saco de batatas fritas.

 

Dica: para economizar dinheiro e embalagens, tenha sempre saquinhos reutilizáveis e compre a granel, separando seus lanchinhos em porções adequadas para levar com você aos lugares, é muito mais fácil se controlar assim do que simplesmente parar uma embalagem no meio e “guardar”.

 

Isso me leva a recomendar …

 

5. Planeje suas refeições (SmartLiv , né? )

 

Quando você toma o tempo para o plano de refeições e preparar a granel, você pode muito mais facilmente parar de comer demais.

 

Planejando sua refeição, você pode ir em frente e limpar seu prato, como mamãe sempre lhe disse para fazer. Normalmente, as pessoas decidem terminar a refeição inteira na frente deles antes de dar a primeira mordida – por ter as refeições prontas antes do tempo, você pratica uma refeição demorada e reduz a quantidade total de comida que você come.

 

6. Coma um lanche rico em proteínas antes de sair

 

Quando você come algo pequeno antes de uma refeição completa, você pode ser capaz de diminuir o quanto você quer comer quando no evento principal. Isto é particularmente verdadeiro quando a “pré-refeição” inclui muita proteína.

 

Lanches com alto teor de proteína que podem ser ótimos, especialmente se você for a um restaurante que oferece refeições com alto teor calórico, incluem barras de proteína, smoothie proteico, pudim de chia e ovos recheados com guacamole.

 

7. Adicione mais vegetais e salada – e coma-os primeiro de tudo

 

Quer enganar seu cérebro em comer mais das coisas boas? Adicione vegetais e saladas ​​ao seu prato em grandes quantidades e comece com eles. Você pode não reduzir o quanto come do resto da comida, mas comerá mais dos itens mais saudáveis ​​do seu prato simplesmente servindo-os e comendo-os primeiro. Isso vale para crianças e adultos.

 

8. Coloque as travessas fora do alcance do Braço

 

Eu não estou chamando você de preguiçoso. No entanto, se você colocar as travessas cheias de comida no fogão ou em um aparador em que você precise levantar pra repetir um prato em vez de na mesa, você comerá menos. Um estudo descobriu uma redução de 35% na ingestão quando a comida estava fora do alcance do braço. Houve um impacto ligeiramente mais forte nos homens.

 

9. Desconfie dos rótulos

Você sabia que algo classificado como “orgânico” ou “sem glúten” ou “sem lactose”não significa necessariamente que seja saudável?

Muito pelo contrario!

Eu recomendo o orgânico sempre que puder para evitar produtos químicos perigosos; No entanto, é fácil deixar um rótulo confundir você. Por exemplo, biscoitos orgânicos, sem glúten etc podem ser cheios de açúcar.

 

Em um estudo, os pesquisadores descobriram que as pessoas não só comiam mais coisas rotuladas como orgânicas (independentemente do estado de saúde dos alimentos), mas muitos indivíduos até se esqueciam de outros esforços para perder peso, como se exercitar, depois de comer algo orgânico.

 

Treine seu cérebro para estar ciente do conteúdo nutricional real dos alimentos, mesmo quando eles são orgânicos. Continue colhendo os benefícios do exercício e outras práticas de estilo de vida saudável também.

 

10. Use pratos e talheres menores

 

Você pode ter visto esta recomendação antes, mas uma maneira fácil de comer menos é usar um prato menor e louça menor. Não pode caber a mesma quantidade de comida em um prato pequeno, como um grande, e seu cérebro é mais feliz de ver um prato “cheio”, mesmo que realmente tenha menos calorias sobre ele.

 

Entre as décadas de 1980 e 2000, o tamanho do prato médio aumentou em impressionantes 44%, o que indica que nos acostumamos com as maiores quantidades em geral.

 

Em um estudo, menos da metade das pessoas serviram a mesma comida em vários utensílios de cozinha até perceberam que o tamanho dos utensílios era diferente. Em outro estudo, os indivíduos comeram mais quando se auto-serviram se a colher era maior. Também é mais provável que você beba mais de uma bebida de um recipiente alto do que de uma bebida pequena e larga.

 

Portanto, este é simples – esteja ciente do tamanho dos pratos, xícaras e utensílios de mesa que você está usando, e ajuste de acordo (e implemente as outras dicas acima) para evitar excessos.

 

Precauções nos tamanhos das porções

 

Eu não sou tipicamente um fã de contagem de calorias porque eu acho que força você a se concentrar na coisa errada. Comer alimentos ricos em nutrientes é muito mais importante do que apenas saber que você tinha 1.839 calorias por dia. No entanto, existem preocupações que surgem com o tamanho das porções e a forma como elas podem estar afetando a epidemia de obesidade, especialmente quando falamos de alimentos com alto teor calórico e com deficiência de nutrientes.

 

Em vez de ser obcecado por calorias, seu foco deve continuar a comer os alimentos mais ricos em nutrientes que puder, além de estar atento à sua ingestão.