SAL.. ruim em excesso, pior sem ele!

 

As lágrimas e suor humanos são salgados. Todas as nossas células estão banhadas em água salgada, e a composição mineral do nosso sangue é basicamente igual à do mar.

Mesmo assim, certamente você já escutou que o sal pode causar problemas e que é melhor evitá-lo.

Produtos com teor de sódio reduzido ocupam cada vez mais espaço nas prateleiras e uma dieta com baixo teor de sódio é recomendada e seguida por muitos que se preocupam com a saúde – quase sempre com pesar, pois o sal realça os sabores, ameniza o amargo e desperta o paladar.

 

SERÁ MESMO QUE PRECISAMOS DIMINUIR A QUANTIDADE DE SAL?

 

Muitos sentem desconfortos ao migrar para uma dieta low carb e este é um dos motivos, pois se você não repuser todo o sódio que seus rins estão eliminando, poderá sofrer com dores de cabeça e fadiga devido à desidratação.

Assim sendo, começar o dia tomando um copo de água com limão e aproximadamente

1/3 ou meia colher de chá de sal natural, fornece hidratação e facilita o trabalho dos rins e das supra-renais ajudando no despertar do corpo e a manter níveis de energia estáveis ao longo do dia.

 

Resumindo, as recomendações oficiais infelizmente parecem estar longe de representar a quantidade para o ótimo desempenho do organismo, principalmente para quem tem um estilo de vida ativo e uma dieta de baixo carboidrato.

Lembrando que, em alguns quadros específicos de saúde, muitas vezes envolvendo problemas renais, pode haver benefícios em diminuir o consumo de sal, mas estes casos são exceções e devem avaliados por um médico.

 

-Riscos de uma dieta de baixo sal

O sal é tão fundamental para a vida que sua deficiência age como um contraceptivo natural em todos os tipos de animais, incluindo nós, humanos. Ou seja: menos sal, menos Saúde. Menos saúde, menos fertilidade.

Uma dieta com pouco sal reduz o desejo sexual, inibe as chances de engravidar e afeta o peso dos bebês. Estudos clínicos mostram que dietas com baixo teor de sal podem aumentar o risco de disfunção erétil, fadiga e a idade em que as fêmeas se tornam férteis.

As diretrizes diárias atuais recomendam 2,4 gramas de sódio, que se traduz em 6 g de sal, um pouco menos de uma colher de chá.

 

Se você tem pressão alta, ou pertence a um grupo considerado como tendo maior risco de desenvolvê-la, como ter mais de 60 anos ou ser afrodescendente, os médicos ainda aconselham cortar sua ingestão para dois terços de uma colher de chá de sal por dia.

Esses limites vão contra nossos instintos naturais. Quando as pessoas utilizam o sal livremente, do modo como gostam, tendem a usar entre uma colher e meia e três colheres de chá por dia, independentemente da região, clima, cultura ou classe social.

Alguns especialistas sugerem que a quantidade ideal de sal para o organismo se manter em homeostase é entre 8 e 10 gramas.

Ainda que certos estudos apontem que o consumo de menos sal leve a níveis de pressão arterial modestamente mais baixos em algumas pessoas hipertensas, muitos outros estudos verificaram que a restrição de sal na verdade aumenta o risco de cardiopatia, e uma meta-análise importante concluiu que diminuir o sal não oferece nenhum benefício à saúde.

ALÉM DISSO, HÁ PROBLEMAS RELACIONADOS À DIETA COM BAIXO TEOR DE SAL, COMO:

 

– Hipertensão. De acordo com um resumo de 23 estudos publicados pelo American Journal of Hypertension, a restrição do sal em até menos que 2.500 mg por dia não apenas causa desequilíbrio hormonal, mas também faz com que a atividade da renina plasmática aumente, o que aumenta drasticamente o risco de ataque cardíaco.

– Resistência à insulina. Alguns estudos diferentes verificaram que uma dieta com baixo teor de sal propiciou um aumento de 15 a 20% na resistência à insulina em voluntários saudáveis. A resistência à insulina contribui para o ganho de gordura e, a longo prazo, ao diabetes tipo 2 e à síndrome metabólica.

– Fadiga e qualidade do sono. Um estudo verificou que a restrição do sal prejudica o sistema nervoso simpático, perturbando a qualidade do sono e causando exaustão e fadiga muscular mais rapidamente. Os participantes desse estudo também apresentaram um aumento na pressão sanguínea.

– Desgaste adrenal. Quando nossa ingestão de sal não é suficiente os rins se esforçam para reter o sódio e devolvê-lo para a corrente sanguínea, requisitando trabalho extra dos hormônios adrenais ligados ao equilíbrio do sódio.

 

Certamente, a relação entre o baixo consumo de sal e saúde não é tão clara assim como determinadas entidades fazem parecer. Isso não é de surpreender, afinal, muitas recomendações tendem a ser desatualizadas e, digamos, tendenciosas.

Na verdade, um corpo saudável lida com bastante facilidade com qualquer excesso de sódio, os rins simplesmente excretam o que não é necessário. Como vimos, alguns dos problemas atribuídos ao excesso de sódio são relacionados com o desequilíbrio entre sódio e potássio, onde o consumo de potássio está muito baixo.

 

A quantidade de sal necessária varia de pessoa para pessoa e em situações diferentes, por exemplo, após uma hora de esforço físico com suor, podemos perder a quantidade equivalente de sódio das recomendações diárias oficiais. Se você toma café ou chá algumas vezes por dia, mais sal é excretado do organismo.

Portanto, atletas precisam naturalmente de mais sal, assim como qualquer pessoa no dia em que faz exercícios ou sua muito. Nas décadas de 50 e 60 esportistas utilizavam suplementos de sal. Se você está fazendo qualquer tipo de dieta com baixo teor de carboidratos, a quantidade de sal necessária também é maior.

 

Quando você consome uma dieta do tipo low carb, produz bem menos insulina (o que é ótimo para a saúde em todos os níveis), mas níveis de insulina baixos e estáveis também assinalam aos rins que eles não precisam trabalhar para reter sódio, fazendo com que o sódio seja excretado mais facilmente.

 

Fonte: Artigo publicado em formato de e-book da PuraVida