Plástico no Micro-ondas: Perigoso ou não?

Primeiro ponto:

Vemos por aí, muitos alertas desatualizados, de que o plástico do micro-ondas libera substâncias químicas causadoras de câncer chamadas dioxinas nos alimentos.

O problema com esse aviso é que os plásticos não contêm dioxinas. Eles são criados quando lixo, plásticos, metais, madeira e outros materiais são queimados. Contanto que você não queime sua comida em um micro-ondas, você não está se expondo a dioxinas. (relata o estudo feito pela ‘Harvard Medical School’)

O Alimento pode ficar com resíduos químicos?

 

Não há uma substância única chamada “plástico”. Esse termo abrange muitos materiais feitos de uma matriz de compostos orgânicos e inorgânicos. Substâncias são muitas vezes adicionadas ao plástico para ajudar a moldar ou estabilizá-lo.

Dois desses plastificantes são:

– bisfenol-A (BPA),( adicionado para fazer plástico transparente e duro)

– ftalatos, (adicionados para fazer plástico macio e flexível)

Acredita-se que o BPA e os ‘ftalatos’ sejam “desreguladores endócrinos”. Estas são substâncias que imitam os hormônios humanos, e não para o bem.

Quando o alimento é embrulhado em plástico ou colocado em um recipiente de plástico, esquentando-os no micro-ondas, SIM, BPA e ‘Ftalatos’ podem vazar para a comida. Qualquer migração é provável que seja maior com alimentos gordurosos, como carnes e queijos do que com outros alimentos.

Há muito tempo, a órgão de regulamentação de alimentos dos EUA (FDA), reconheceu o potencial de pequenas quantidades de plastificantes para migrar para alimentos. Por isso, regula de perto os recipientes de plástico e materiais que entram em contato com os alimentos. A FDA exige que os fabricantes testem esses recipientes usando testes que atendam aos padrões e especificações. Em seguida, ele revisa os dados de teste antes de aprovar um recipiente para uso em microondas.

No Brasil, a Anvisa regula a qualidade das embalagens plásticas de modo geral mas não necessariamente em relação ao micro-ondas.

Como é feita a analise?

 

Para a aprovação de microondas, é estimada a proporção de área de superfície de plástico com a comida, quanto tempo o recipiente pode estar no micro-ondas, com que frequência uma pessoa é capaz de comer do recipiente, e quão quente a comida pode ficar durante o micro-ondas.

Os cientistas também medem os produtos químicos que lixiviam os alimentos e o grau em que eles migram em diferentes tipos de alimentos. A quantidade máxima permitida é de 100 a 1.000 vezes menos por quilo de peso corporal do que a quantidade mostrada para prejudicar os animais de laboratório durante toda a vida útil. Somente os recipientes que passarem neste teste poderiam ser seguros para micro-ondas.

Conclusão:

O que você deve ter em mente ao usar o micro-ondas?

Se você estiver preocupado com envoltórios de plástico ou recipientes no micro-ondas, transfira os alimentos para recipientes de vidro ou cerâmica apropriados.

Não deixe que o plástico cubra a comida durante o micro-ondas, pois poderá derreter.

 – Papel de cera ou um recipiente com cúpula que se encaixa sobre um prato ou tigela são alternativas melhores.

– A maioria dos recipientes básicos como, garrafas de água ou potes de plástico de manteiga/margarina, iogurte e alimentos como requeijão, maionese e mostarda não são seguros para micro-ondas.

– Recipientes velhos, riscados ou rachados, ou aqueles que foram microondas muitas vezes, podem liberar mais plastificantes.

– Não utilize sacos plásticos para esquentas comida, “bom” nunca será, e a chance de ser adequado é muito pequena.

– Se utilizar a tampa comum de plástico de proteção em cima do prato, nunca deixe-a encostar no alimento.